domingo, 20 de março de 2011

Twitter – A febre do momento!!


Há muito tempo quero escrever este texto tecendo críticas ao TWITTER, porém demorei tanto que acabei me contagiando (Não tanto quanto a minha parceira @dricabidu, ops! Drielle Bidu)!
O fato é que o twitter está tão comum quanto o orkut, e quem diria o  facebook (Nós temos todos esses, aliás... Acabo de me lembrar que encerrei minha conta no Orkut, mas essa é uma longa história).

No twitter você irá encontrar todo tipo de gente:

·         Os tímidos – aqueles que falam pouco (eu me enquadro neste perfil);
·         Os papagaios – que só sabem repetir (retweet) frases algumas vezes interessantes;
·         Os compulsivos – que escrevem até quando estão fazendo o número 2 (tipo @dricabidu);
·         Os sem-noção – que acha que todo mundo está na frente do computador vendo o que ele vai escrever (tipo o recém chegado @SimonFiterman).

Enfim... São vários os tipos, mas esses são os mais aparentes.

Vale lembrar que as empresas não querem mais saber do seu CURRICULUM VITAE, a primeira pergunta que fazem é: Você tem Orkut? Twitter? Facebook?

Então cuidado com o que você anda dizendo!!!!

E não esqueça... Você tem apenas 140 caracteres e sabe por quê?
“O Twitter foi desenvolvido para ser uma espécie de SMS virtual. Ou seja, a proposta é a mesma das mensagens de celular: poucas palavras – mas que não deixam de ser importantes. Por isso, definiram que um tweet teria 160 caracteres, baseado no padrão de letrinhas dos torpedos, mas 20 delas seriam para o nome dos usuários, restando então 140”. (http://gloss.abril.com.br/gente/conteudo/guia-twitter-varias-curiosidades-site-589469.shtml - 23:27 - 20/03/2011)


Agora me diga... Você tem twitter? Não?? Porque? E se tem... que tipo de twitteiro você é?

P.s.¹ - Siga a gente: @dricabidu e @laiseruama
P.s.² - Eu não deixei Drielle comprar este livro, isso não!

domingo, 13 de março de 2011

A rede ANTIssocial

Este texto não é nosso, vocês irão perceber rapidamente, não que eu e Drielle não tenha capacidade de escrever um texto assim... Só estamos com preguiça : ) !!!

Esperamos que gostem, e mais do que isso... Reflitam a respeito!

"O ser humano, como seus ancestrais macacos, é um animal gregário (que vive em bando), mas as megalópoles nos levaram a um paradoxo: quanto maior uma cidade, mais isolados estão seus habitantes. Desse paradoxo nascem muitos problemas, e talvez o principal deles seja a epidemia de depressão crescente detectada pela Organização Mundial de Saúde. Nesse mesmo contexto surge ainda uma praça pública virtual, disponível a todos,
o Facebook. Hoje com 500 milhões de usuários, essa rede social é um fenômeno mundial.
A grande qualidade do Facebook é ter um sistema que incentiva a comunicação direta e contínua. Você escreve algo, e logo dez pessoas curtiram, duas comentaram e, de alguma forma, a sensação de estar se comunicando com outro ser humano acontece. Aparecem perguntas, aparecem respostas. Você reencontra e convive com amigos há muito perdidos. De repente, parece que você, milagrosamente, encontrou uma sala de estar com alguns convivas para ir a qualquer hora do dia ou da noite.
Mas eu me questiono até que ponto essa sensação de encontro é verdadeira. Os debates e as declarações de amor ou de ódio estão ali, mas as pessoas… Elas estão cada vez mais enfurnadas em suas casas – em frente a seus computadores. Até mesmo o telefone virou uma coisa para os muito íntimos. Será que o Face, no fundo, não está mais próximo do autismo de um videogame do que da alegria de uma praça pública? Eu não sei, mas sinto que o crescimento das redes sociais indica que o ser humano está desesperadamente tentando voltar para casa. Só que ainda não sabe bem como."

Por Anna Muylaert - Texto extraído da revista GLOSS - 11/2010